ZURARA, Gomes Eanes. (1410-1474).

Sobre o autor

De acordo com Alberto da Costa e Silva, no livro Imagens da África (2012), Eanes Gomes de Zurara foi um “cronista português, falecido provavelmente em 1474. Com sua obra Crônica do descobrimento e conquista da Guiné, talvez escrita entre 1463 e 1468, tem início em Portugal a literatura da expansão ultramarina” (p.65).

Obra(s)

Chronica do descobrimento e conquista de Guiné. Paris: J. P. Aillaud.

Menções ao negro e ao escravo

“O Infante, agradecendo-lhe sua boa vontade, fez logo armar uma caravela, na qual aviou como o dito Dinis Dyaz pudesse ir cumprir sua boa vontade; o qual partido com sua campanha, nunca quis amainar, até que passou a terra dos Mouros e chegou à terra dos negros, que são chamados Guineus. E como quer que nós já nomeássemos algumas vezes com esta estória, Guinee, por a outra terra em que os primeiros foram, escrevemo-lo assim em comum, mas não porque a terra seja toda uma, com a grande diferença tem umas terras das outras, e muito afastadas são, segundo departiremos adiante onde acharmos lugar desposto para isso. E indo fazendo sua viagem ao longo daquele mar, viram a caravela os que estavam na terra, da qual coisa foram muito maravilhados, como segundo parece, nunca viram nem ouviram falar de semelhante, como uns presumiam que era peixe, outros entendiam que era fantasma, outros diziam que podia ser alguma ave que corria assim andando por aquele mar” (p. 158).

Obs.: Não obstante a importância do fragmento destacado acima, toda a obra é tida como um dos mais importantes textos escritos em língua portuguesa sobre as representações europeias do continente africano produzidas no século XV.

Páginas

158