JABOATÃO, Antônio de Santa Maria. 1695-1779.

Sobre o autor

Antônio Jaboatão nasceu na freguesia de Santo Amaro (Recife), em 1695, e morreu em Salvador, na Bahia, em 1779. Religioso franciscano, professo em 1717, Jaboatão iniciou sua carreira no convento de Santo Antônio do Paraguaçu, na Bahia, passando, mais tarde, para o colégio de Pernambuco, onde recebeu ordens e concluiu os seus estudos. Foi mestre de noviços no convento de Igarassu, por duas vezes guardião no convento da Paraíba, secretário do Capítulo, prelado no convento de Santo Antônio (Recife) e cronista da ordem franciscana. Teve uma vida intelectual ativa, participando de pelo menos duas academias, e deixou vasta obra publicada — para os parâmetros da época (século XVIII) e do lugar (Brasil).

Obra(s)

FONTE VII. Nasce do V. 22., e 23 do Cap. 6. Luc. Beati eritis cum vos oderint homines, e cum separaverint vos, & exprobraverint vos, & ejecerint nomen vestrum tamquam malum... Graudete in illa die, & exultate. E com as suas mysticas agoas entra a unir-se com as desta primeira Corrente em hum discurso Historico, Geografico, Genealogico, Politico, e Encomiastico; recitado em a nova celebridade, que consagrarão os Pardos de Pernambuco ao Santo da sua cor: o Beato Gonçallo Garcia, Na sua Igreja do Livramento em Santo Antonio do Recife aos 12 de Setembro do anno de 1745. In: JABOATÃO, Antônio de Santa Maria. Jaboatão Mystico Em correntes sacras dividido. Corrente primeira panegyrica, e moral, oferecida, Debaixo da Protecção da Milagrosa Imagem do senhor Santo Amaro, Venerada na sua Igreja Matriz do Jaboatão, Ao illustrissimo e excellentissimo senhor Luiz Joze Correa de sa’, Governador de Pernambuco, por Fr. Antonio de Sta. Maria Jaboatam, Filho da Provincia de Santo Antonio do Brasil. Lisboa: Na Offic. De Antonio Vicente da Silva, 1758, pp. 167-223.

Menções ao negro e ao escravo

* O sermão trata das cores de pele dos negros e dos pardos a partir do elogio ao santo Gonçalo Garcia.

Páginas

175, 179, 181, 182, 183, 184, 185, 186, 187, 188, 190, 191, 192, 193, 194, 195, 196, 197, 198, 199, 200, 204, 210, 219.