D. Duarte (1391-1438)

Leal Conselheiro

Image-empty-state.png

1842

Referência completa

Leal Conselheiro, o qual fez Dom Duarte, pela graça de Deos Rei de Portugal e de Algarve, e Senhor de Ceuta, a requerimento da muito excellente Rainha Dona Leonor sua mulher; seguido do Livro da Ensinança de Bem Cavalgar toda sella, que fez o mesmo rei, o qual começou sendo Infante, precedido d'uma introdução, ilustrado com várias nota, e publicado debaixo dos auspicios do excellentissimo Senhor Visconde de Santarem, sócio da Academia Real das Sciencias de Lisboa, do Instituto de Franca, etc, etc. Fielmente transladado no manuscrito contemporaneo, que se conserva na Bibliotheca Real de Pariz, revisto, addicionado com notas philologicas e um grossario das palavras e phrases antiquadas e obsoletas que nelle se encontrão. E impresso a custa de J. I. Roquete, presbytero. Pariz, em casa de J. P. Aillaud, 11, Qual Voltaire; e em Portugal, em casa de todos os mercadores de livros, de Lisboa, Porto e Coimbra, 1842.

Descrição 

O Leal Conselheiro, conhecido como um dos principais manuais de orientação ética portuguesa do século XV, foi escrito pelo rei D. Duarte (1391-1438) nos últimos anos de sua vida. O objetivo declarado de D. Duarte foi compor um manual, escrito de maneira simples e direta, que explicitasse as principais técnicas para o bom regimento das consciências e vontades. O único manuscrito da obra ficou conservado, juntamente com o Livro da ensinança de bem cavalgar, em Paris, desde o século XV até meados do século XIX, quando surgiram duas edições: uma, com notas e introdução de J. L. Roquete, impressa em 1842 e outra impressa pela Typographia Rollandiana em 1843.